Bacia do rio Doce sofre mais uma contaminação: rompe lagoa de dejeitos e contamina o rio Casca em MG

A contaminação foi identificada no município de rio Casca, mesmo nome do rio que banha o território. A polícia ambiental recolheu uma tonelada de peixes mortos e outros animais maiores, como capivaras.

O rio Casca, afluente do rio Doce, foi atingido na noite de quinta-feira (30) pelo rompimento de lagoa de dejeitos de uma granja de suínos. A provável fonte poluidora está localizada na zona rural do município de Urucânia, próximo ao município de Ponte Nova, em Minas Gerais. A lagoa recebe dejeitos sem tratamento e tem volume estimado de 12 mil m3. Além do rio foram atingidas casas de cinco famílias de uma comunidade próxima à lagoa, e um córrego com percurso de 1,2km.

A contaminação foi identificada no município de rio Casca, mesmo nome do rio que banha o território. A polícia ambiental recolheu uma tonelada de peixes mortos e outros animais maiores, como capivaras.

O rio Casca é essencial para o abastecimento de várias cidades e para o sustento das famílias que dependem da atividade da pesca, para a irrigação e cultivo de alimentos e para o lazer, como a população ribeirinha que se relaciona com o rio como sendo a principal fonte da vida.

Esse crime demonstra mais uma vez a contaminação da bacia do rio Doce e mais uma vez expõe o sofrimento das populações que vivem do rio. Quatro anos e meio se passaram desde o rompimento da barragem de Fundão em Mariana, das mineradoras Vale, Samarco e BHP Billiton e o Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB insiste na luta e no reconhecimento dos direitos de quem vive do rio. 

É preciso investigar e confirmar a fonte da contaminação, entender a dimensão dos danos causados à biota e às populações atingidas ao longo do percurso do rio para que sejam feitas as medidas necessárias de reparação. Sobretudo, para que o crime não se repita.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho

| Publicado 06/05/2020

Justiça concede liminar contra GAISMA, estudo que beneficiava mineradoras no crime do rio Doce

Com a vitória no TRF-1, uma Decisão Liminar suspendeu a decisão da 12ª Vara e determinou a “continuidade do processo de reparação com respaldo nos estudos anteriormente elaborados pela Ambios e pelo Grupo EPA Engenharia e Proteção Ambiental para avaliação de risco à saúde humana

| Publicado 05/05/2020

Prêmio por 272 mortes e a bacia do rio Paraopeba devastada

Vale premia em R$ 19 milhões diretores indiciados por homicídio duplamente qualificado

| Publicado 05/05/2020

Vale nega indenização por danos psicológicos de crianças em Brumadinho

Em acordos individuais, Vale nega danos das crianças do Córrego do Feijão para indenização