MPF denuncia 21 pessoas por homicídio em tragédia em Mariana (MG)

Entre os acusados estão executivos de alto escalão e gerentes da Samarco e das controladoras, Vale e BHP Billiton Do Brasil de Fato O Ministério Público Federal denunciou 21 funcionários […]

Entre os acusados estão executivos de alto escalão e gerentes da Samarco e das controladoras, Vale e BHP Billiton

Do Brasil de Fato

O Ministério Público Federal denunciou 21 funcionários da Samarco e de suas controladoras, Vale e BHP Billiton, por homicídio com dolo eventual, ou seja, quando se assume o risco de matar, por conta do rompimento da barragem de Fundão, em 5 de novembro do ano passado. No episódio, morreram 19 pessoas.

Entre os denunciados estão Ricardo Vescovi, ex-presidente da Samarco, Kleber Terra, o executivo que era o “número dois” da empresa, e integrantes do conselho de administração, além de estrangeiros: um britânico, um francês, um sul-africano, um australiano e dois estadunidenses. A acusação é por crime de inundação, desabamento, lesões corporais graves e crimes ambientais.

Além dessas 21 pessoas da Samarco, da Vale e da BHP Billiton, a consultoria VogBR e seu engenheiro Samuel Paes Loures foram denunciados por apresentar laudo falso.

Outros três gerentes da Samarco também estão sob suspeita de homicídio com dolo eventual. São eles: Germano Lopes, Wagner Milagres e Daviely Rodrigues.

As informações são do jornal Folha de S.Paulo e do portal G1.

Edição: José Eduardo Bernardes

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho