Atingidos por barragens de Goiás iniciam a construção dos PAIS

Camponeses do município de Catalão (GO) atingidos pela Usina Hidrelétrica Serra do Facão começaram a implantar experiências de produção de alimentos saudáveis em suas propriedades utilizando o programa Produção Agroecológica […]

Camponeses do município de Catalão (GO) atingidos pela Usina Hidrelétrica Serra do Facão começaram a implantar experiências de produção de alimentos saudáveis em suas propriedades utilizando o programa Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS).

As famílias ribeirinhas organizadas no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), em parceria com o Movimento Camponês Popular (MCP), recebem orientações técnicas para a instalação do galinheiro, irrigação e outros itens para implementação das hortas.

O objetivo dessa experiência é, além de fortalecer a organização dos camponeses, produzir alimentos saudáveis sem o uso de agrotóxicos para a subsistência das famílias e geração de renda através da venda do excedente da produção. A aplicação desta técnica diversifica a produção e alcança a sustentabilidade em pequenas propriedades.

Há anos as famílias já vêm trabalhando com a produção de alimentos sem o uso de agrotóxicos e estão realizando um trabalho de resgates das sementes crioulas de milho, feijão, arroz e sementes de hortaliças em geral. “Queremos primeiramente produzir alimentos saudáveis para nossa família e se sobrar iremos vender, mas o que queremos é produzir alimentos sem o uso de agrotóxicos para ter uma vida melhor”, afirmou Eristania Marques, da comunidade Mata Preta, em Catalão.

Para o estado de Goiás estão previstos a construção de 50 unidades PAIS, 25 na região da UHE Serra do Facão e 25 na região da UHE Cana Brava.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho