Governador Tarso Genro anuncia programa para camponeses do RS

Fruto da luta e das mobilizações que os movimentos que compõem a Via Campesina realizaram esta semana em Porto Alegre, o governador do estado do Rio Grande do Sul, Tarso […]

Fruto da luta e das mobilizações que os movimentos que compõem a Via Campesina realizaram esta semana em Porto Alegre, o governador do estado do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, anunciou na tarde de ontem (18) a criação de um programa para beneficiar os camponeses gaúchos. O anuncio foi em frente o Palácio Piratini onde mais de cinco mil trabalhadores da Via Campesina e da Central Única dos Trabalhadores estavam mobilizados aguardando o resultado nas negociações.

De acordo com Emerson Giacomelli, da coordenação do MST, a criação de um programa desse nível é um marco histórico, pois além de reconhecer milhares de camponeses que estão fora  da maioria das atuais políticas públicas, o programa possibilitará condições reais de operar o modo de produção camponês. 

Para operacionalizar o Programa Camponês, o governador do estado disponibilizou 50 milhões de reais em dois anos (2013/2014) que serão oferecidos em contrapartida ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES), que colocará mais 50 milhões de reais no Plano, totalizando 100 milhões. Ainda em 2013 estão previstos investimentos no programa na ordem de 50 milhões, sendo 25 milhões do governo do estado e 25 milhões do BNDES.

Estes investimentos serão canalizados pela Via Campesina para produção, industrialização e comercialização de alimentos saudáveis, diversificados e gradativamente sem venenos que serão destinados principalmente aos trabalhadores das fábricas, aos estudantes beneficiados pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar, ao público dos bairros populares beneficiados pelo Programa de Aquisição de Alimentos e pelas compras governamentais.

Para o MAB, a conquista foi um avanço também para o fortalecimento das organizações de trabalhadores do campo e da cidade. “Temos esperança de que esta conquista econômica também anime a organização popular. As lutas que fizemos nesta semana já são um reflexo disso, foram mais de cinco mil trabalhadores do campo e da cidade que estiveram mobilizados na capital gaúcha,  lutando por esta conquista”, ressaltou Marco Antônio Trierveiler, da coordenação do MAB.

Conteúdos relacionados
| Publicado 03/07/2020 por Movimento dos Atingidos por Barragens

Trabalhadores conquistam continuidade na isenção da Tarifa Social de Energia

Governo Federal anuncia a prorrogação da Medida Provisória 950/20 por mais 60 dias

| Publicado 11/06/2020

Atingidos distribuem mais de 500 cestas básicas no Amapá



O MAB no Amapá vem organizando as comunidades atingidas e lutando por reconhecimento de direitos e compensações, pelas mortes de peixes consequências dos empreendimentos hidrelétricos no rio Araguari, no município de Ferreira Gomes

| Publicado 11/06/2020

Lutar não é crime: atingidos e atingidas em defesa dos direitos humanos!

Decisão obtida pela Vale determina proibição de manifestações nas vias de acesso à Brumadinho